CARNAVAL

24-02-2009 20:31

Poderia ser uma festa popular, divulgar a arte e a cultura para o mundo... Porém o que vemos é muito diferente disso. O lucro com a festa da carne é uma estatística triste e alarmante... Mas, quem de fato está preocupado com isso???

 

E chega novamente o Carnaval... Se bem que para algumas regiões do Brasil, ele nunca vai embora.
Quero aqui destacar algumas características dessa festa "popular", que divulga, destaca e resgata a história e cultura do país e do mundo.
Festa de alegria, de ritmo e do amor.

Bem, vou começar pelo popular:
Será que é popular o custo mínimo de R$500,00 (quinhentos reais), para assistir da arquibancada o desfile do grupo especial do RJ? Ou ainda quase R$4.000,00 (quatro mil reais) para o camarote vip individual e aproximadamente R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para o vip de 12 pessoas? Esse valor é para assistir apenas um dia do desfile. Fonte: http://rio-carnival.net/ingressos/
Se quiser ir lá para Salvador, um abadá Vip para os dias de folias pode sair por quase R$3000,00 (três mil reais).  
Fonte: http://www.festaseabadas.com.br/ComprandoPacotesParaCarnaval.shtm


Talvez a parte popular do carnaval se restrinja apenas a confeccionar fantasias para os "astros” e "estrelas" famosos;
Empurrar os enormes carros alegóricos sobrecarregados por pessoas seminuas pulando geralmente em torno de um mastro ou com fantasias caríssimas, mostrando que o luxo não é popular;
Correr atrás da última escola que desfila; fazer os preparativos na escola de samba; limpar a avenida, ou seja, a parte operacional é bem popular (do povo ou a maioria deste).
Na parte história e social, realmente as "marchinhas" nos remetem a partes histórias e sociais, mas faço aqui uma pergunta: não teria outra maneira para tal divulgação a não ser essa que sempre propaga ao mundo o Brasil como país da orgia, pornografia, do sexo fácil e de mulheres mais fáceis ainda?
Temos uma enorme quantidade de livros, peças teatrais e filmes que retratam com fidelidade os mesmos temam divulgados pelo carnaval e eu nunca vi o empenho das pessoas para tal divulgação.
Assim como no carnaval, o povo poderia também dar seu trabalho voluntário o ano todo e a elite poderia investir com a mesma alegria e disposição para a produção de um filme, a publicação de um livro...


E por último quero falar sobre o amor...


E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará." [Mateus 24:9-12]


É comum ouvir homens e mulheres reclamando que não existe mais compromisso e que o assunto agora é apenas ficar. E isso tudo é culpa do próprio ser humano que se deixa corromper por tanta futilidade.  Pessoas que não sabem quem foi Cora Coralina ou Machado de Assis, mas sabe com precisão o valor de uma prótese de silicone e do botox. Pessoas que sabem o gosto da boca e nunca o sabor de um beijo. Que querem entrar para o Guiness book pelo maior número de beijos em uma noite e não por ser o país com o menor número de divórcios. Esquenta o sexo, esfria o amor...
O Brasil para no mínimo 03 dias para a festa da carne, da orgia, do sexo fácil, incentivo à droga, à bebida, à prostituição... Alguns canais de TV dão destaques diários e a mídia endeusa as musas seminuas à frente da bateria e tem pais cujo sonho é que sua filha seja um dia a rainha da bateria. Pode?  E ainda querem me vender a imagem de festa popular, com destaque à cultura, a memória histórica e incentivo ao turismo?
Só se for história para boi dormir.

 


Enquanto escondemos o cérebro e mostramos a bunda, que respeito poderemos exigir? Enquanto o sonho de muitas mulheres e ainda crianças for o de usar uma fantasia que deixe à mostra os seios e a bunda, para ficar rebolando em frente a centenas de homens de uma bateria e futuramente posar nua para uma revista e ser levada a banheiros para nutrir fantasias sexuais de milhares de homens, que País poderá se construir?
Bem, em um País que Carnaval é arte, o que podemos esperar do ser humano?

 

Para quem justifica a festa. falando dos milhares de empregos que ela proporciona, eu diria que o comércio de armas, o tráfico de drogas e a prostituição também emprega. No entanto...

 

O MUNDO PRECISA DE DEUS!

 

 

 

Procurar no site


 

"A escuridão aumenta, conforme

diminui a luz que há em ti"

(Rose Felliciano)

© 2008 Todos os direitos reservados.

Crie o seu site grátisWebnode